Artesanato na era digital: o futurismo de Joris Laarman

“O artesanato não deve ser visto como nostálgico e sim como algo que está em permanente evolução, e que, com o auxílio de ferramentas da alta-tecnologia, pode ser central para a sociedade no futuro”, anunciou certa vez Joris Laarman.

O designer holandês de 37 anos, formado pela prestigiosa Design Academy Eindhoven, desenvolveu sua prática na junção da tecnologia com o apuro técnico manual. Laarman é conhecido por explorar em seus móveis e objetos estruturas paramétricas complexas, geradas por algoritmos e materializadas por ferramentas de fabricação digital. A elas combina-se o acabamento artesanal fino, gerando peças de grande valor agregado. Em abril de 2016, sua Bone Chair, feita em alumínio fundido em molde impresso em 3D, superou a já alta estimativa de valor e foi vendida por impressionantes £ 344,500 na casa de leilões Phillips, a mais conceituada para o design no mundo. Além disso, criações de Laarman estão em coleções permanentes de museus como o MoMA, em Nova York, e o Victoria and Albert, em Londres.

inv.nr. 30239 Laarman, Joris (Borculo 1979 - ) Bone chair 2007- Aluminium 77 x 44 x 77 cm Collectie Centraal Museum, Utrecht; aankoop 2007 Image & copyrights CMU/ Ernst Moritz

Image & copyrights CMU/ Ernst Moritz

Diante de tais realizações e cifras, é preciso entender o que baseia tamanho sucesso. A ambição do designer é materializar, hoje, visões do futuro da produção de bens de consumo. A Bone tem como substrato uma longa e intensa pesquisa do designer sobre como aprender com a natureza. “Nossa era digital torna possível não apenas usar a natureza como uma referência estilística, mas realmente usar os princípios biológicos subjacentes para gerar novas formas, exatamente como no processo evolutivo”, disse ele. Para chegar ao formato da cadeira, Laarman utilizou um software da indústria automobilística de ponta, que calcula o mínimo de material necessário para cada componente de um projeto, no intuito de criar a estrutura mais leve possível sem perda na força ou resistência em pontos cruciais.

O formato da peça é uma resposta direta à pesquisa inspirada pelos ossos animais, que fazem exatamente esse “cálculo” mimetizado pelo software. “Ossos são altamente eficientes em seu crescimento estrutural para alcançar uma relação peso-força ideal; eles constantemente adicionam ou removem material em resposta às tensões de seu ambiente.” O princípio permitiu que o designer revolucionasse o processo do desenho, otimizando a alocação de matéria-prima. O resultado são estruturas que realmente se parecem com ossos – porém por um processo interno e não externo, de mera cópia de uma forma.

O alumínio foi escolhido para a Bone devido às suas qualidades inerentes, como o de ser facilmente maleável, leve e de baixa densidade, com grande resistência à corrosão e a tensões. Recentemente, o metal foi utilizado em uma série de móveis denominada Gradient e, mais uma vez, o princípio norteador foi o uso racional de massa material. A equipe do laboratório de Laarman olhou para engenharia das peças a um nível celular. Usando ferramentas de design generativas, criou uma estética intrincada de pequenos componentes sucessivos, de mesmo formato mas com diferentes tamanhos, pesos e distância. As células sólidas criam resistência estrutural e rigidez, enquanto as células mais abertas criam redução de material e leveza. Tudo foi fabricado por técnica inédita de sintetização do metal a laser, desenvolvida dentro do laboratório – um vislumbre de como poderá ser uso do alumínio no design de móveis na era digital.

O trabalho obsessivo do laboratório de Laarman, que combina colaboradores de diversas expertises, cria, nas palavras do designer, “coisas tão engenhosas que parecem mágica se você não tem conhecimento de todo o processo que as gerou”. Ao testar de forma sistemática as possibilidades da fabricação digital e dos softwares de desenho, o holandês mostra que no futuro tudo o que for criado será perfeitamente adequado ao uso a que se destina, pois é criado de maneira única – por isso, artesanato digital.

inv.nr. 30239 Laarman, Joris	(Borculo 1979 -  ) Bone chair 2007- Aluminium 77 x 44 x 77 cm Collectie Centraal Museum, Utrecht; aankoop 2007 Image & copyrights CMU/ Ernst Moritz

Image & copyrights CMU/ Ernst Moritz

boneweblast-1500x630 Aluminum7-1500x630 Aluminum5-1500x630