Grupo Cinex | Blog | Design com X | Design com X é o nome do nosso Blog, pois nós do Grupo Cinex acreditamos que design é o X da questão no mundo atual. Para nós tudo passa pelo design pois ele, por definição, busca o melhor desenho para tudo: móveis, objetos e até relações. Neste espaço buscamos mostrar as notícias e novidades que acontecem no mundo do design. Compartilhamos a pesquisa feita em todas as empresas do Grupo de modo a trazer para você nossa paixão pelo alumínio e pelo vidro, os materiais mais importantes nas nossas indústrias e materiais-chave para o século XXI por sua reciclabilidade e versatilidade. Design e Inovação nos movem. E é sobre isso que iremos falar aqui. Para que cada leitor do nosso blog possa, cada dia mais, criar seus ambientes de sonhos. Onde more a praticidade e a beleza. Onde mais do que estar, se possa bem-estar.

Grupo Cinex | Blog | Design com X - Design com X é o nome do nosso Blog, pois nós do Grupo Cinex acreditamos que design é o X da questão no mundo atual. Para nós tudo passa pelo design pois ele, por definição, busca o melhor desenho para tudo: móveis, objetos e até relações.   Neste espaço buscamos mostrar as notícias e novidades que acontecem no mundo do design. Compartilhamos a pesquisa feita em todas as empresas do Grupo de modo a trazer para você nossa paixão pelo alumínio e pelo vidro, os materiais mais importantes nas nossas indústrias e materiais-chave para o século XXI por sua reciclabilidade e versatilidade.  Design e Inovação nos movem. E é sobre isso que iremos falar aqui. Para que cada leitor do nosso blog possa, cada dia mais, criar seus ambientes de sonhos. Onde more a praticidade e a beleza. Onde mais do que estar, se possa bem-estar.

TAG | móveis

ago/17

17

“O artesanato não deve ser visto como nostálgico e sim como algo que está em permanente evolução, e que, com o auxílio de ferramentas da alta-tecnologia, pode ser central para a sociedade no futuro”, anunciou certa vez Joris Laarman.

O designer holandês de 37 anos, formado pela prestigiosa Design Academy Eindhoven, desenvolveu sua prática na junção da tecnologia com o apuro técnico manual. Laarman é conhecido por explorar em seus móveis e objetos estruturas paramétricas complexas, geradas por algoritmos e materializadas por ferramentas de fabricação digital. A elas combina-se o acabamento artesanal fino, gerando peças de grande valor agregado. Em abril de 2016, sua Bone Chair, feita em alumínio fundido em molde impresso em 3D, superou a já alta estimativa de valor e foi vendida por impressionantes £ 344,500 na casa de leilões Phillips, a mais conceituada para o design no mundo. Além disso, criações de Laarman estão em coleções permanentes de museus como o MoMA, em Nova York, e o Victoria and Albert, em Londres.

inv.nr. 30239 Laarman, Joris (Borculo 1979 - ) Bone chair 2007- Aluminium 77 x 44 x 77 cm Collectie Centraal Museum, Utrecht; aankoop 2007 Image & copyrights CMU/ Ernst Moritz

Image & copyrights CMU/ Ernst Moritz

Diante de tais realizações e cifras, é preciso entender o que baseia tamanho sucesso. A ambição do designer é materializar, hoje, visões do futuro da produção de bens de consumo. A Bone tem como substrato uma longa e intensa pesquisa do designer sobre como aprender com a natureza. “Nossa era digital torna possível não apenas usar a natureza como uma referência estilística, mas realmente usar os princípios biológicos subjacentes para gerar novas formas, exatamente como no processo evolutivo”, disse ele. Para chegar ao formato da cadeira, Laarman utilizou um software da indústria automobilística de ponta, que calcula o mínimo de material necessário para cada componente de um projeto, no intuito de criar a estrutura mais leve possível sem perda na força ou resistência em pontos cruciais.

O formato da peça é uma resposta direta à pesquisa inspirada pelos ossos animais, que fazem exatamente esse “cálculo” mimetizado pelo software. “Ossos são altamente eficientes em seu crescimento estrutural para alcançar uma relação peso-força ideal; eles constantemente adicionam ou removem material em resposta às tensões de seu ambiente.” O princípio permitiu que o designer revolucionasse o processo do desenho, otimizando a alocação de matéria-prima. O resultado são estruturas que realmente se parecem com ossos – porém por um processo interno e não externo, de mera cópia de uma forma.

O alumínio foi escolhido para a Bone devido às suas qualidades inerentes, como o de ser facilmente maleável, leve e de baixa densidade, com grande resistência à corrosão e a tensões. Recentemente, o metal foi utilizado em uma série de móveis denominada Gradient e, mais uma vez, o princípio norteador foi o uso racional de massa material. A equipe do laboratório de Laarman olhou para engenharia das peças a um nível celular. Usando ferramentas de design generativas, criou uma estética intrincada de pequenos componentes sucessivos, de mesmo formato mas com diferentes tamanhos, pesos e distância. As células sólidas criam resistência estrutural e rigidez, enquanto as células mais abertas criam redução de material e leveza. Tudo foi fabricado por técnica inédita de sintetização do metal a laser, desenvolvida dentro do laboratório – um vislumbre de como poderá ser uso do alumínio no design de móveis na era digital.

O trabalho obsessivo do laboratório de Laarman, que combina colaboradores de diversas expertises, cria, nas palavras do designer, “coisas tão engenhosas que parecem mágica se você não tem conhecimento de todo o processo que as gerou”. Ao testar de forma sistemática as possibilidades da fabricação digital e dos softwares de desenho, o holandês mostra que no futuro tudo o que for criado será perfeitamente adequado ao uso a que se destina, pois é criado de maneira única – por isso, artesanato digital.

inv.nr. 30239 Laarman, Joris	(Borculo 1979 -  ) Bone chair 2007- Aluminium 77 x 44 x 77 cm Collectie Centraal Museum, Utrecht; aankoop 2007 Image & copyrights CMU/ Ernst Moritz

Image & copyrights CMU/ Ernst Moritz

boneweblast-1500x630 Aluminum7-1500x630 Aluminum5-1500x630

,

jun/17

13

Não é tarefa fácil estar informado sobre todos os projetos que brotam das cabeças criativas que formam o estúdio Nendo, capitaneado pelo designer japonês Oki Sato e baseado entre Tóquio e Milão. Apenas nos primeiros meses de 2017, foram 20 contratos, que geraram coleções de móveis, exposições e espaços.

Em tamanho volume de projetos tão variados, os melhores costumam ser os que contêm a fina combinação entre simplicidade e subversão que caracteriza a prática do Nendo, e que o tornou um dos mais desejáveis estúdios de design do mundo.

A linguagem visual do design de Oki Sato valoriza o vazio e o uso do número mínimo de elementos diferentes – sejam materiais, formas ou cores (em geral apenas o branco e o preto). É uma ode à tradição estética japonesa, revisitada de maneira surpreendente, pois transforma a simplicidade em estratégia para mostrar um novo olhar sobre as coisas conhecidas.

Vamos a um exemplo recente: a coleção de móveis criada para a exposição “Home Living Boundless Design” (“Design sem limites para a casa”), em Hanghzou, China, a pedido da fabricante de mobiliário Kuka. À primeira vista, o conjunto formado por cadeiras, poltronas, mesinhas e estantes causa estranheza pela quase invisibilidade. Apenas dois materiais são utilizados: metal pintado de branco e folhas transparentes de polipropileno. Enquanto o metal cria a delicada estrutura dos móveis, as folhas plásticas são utilizadas como suas superfícies (assento, encosto, prateleira, tampo).

A Kuka é uma fábrica tradicional chinesa de móveis estofados, o que levou o Nendo a focar “os valores intrínsecos do conforto”. Justamente porque o conforto nos faz pensar em materiais macios, como os diversos tipos de espumas, enchimentos de pluma e de algodão, a ideia foi usar materiais que não se associam a esse adjetivo.

É a maneira como os elementos são empregados que faz a diferença. Como explicam os designers, as folhas de polipropileno, de 1.5 milímetro de espessura, podem adquirir diferentes níveis de maciez dependendo da distância entre as lâminas e de como são curvadas. Quanto maior o ângulo de curvatura e menor a distância entre as folhas, mais rígida e forte é a superfície. Quanto menor o ângulo e maior a distância, mais macia ela será. Observando a poltrona, por exemplo, vemos que os pontos de contato com o corpo humano têm a característica mais macia, enquanto as junções das folhas na estrutura são mais rígidas, dando suporte ao móvel.

Esse projeto, que desafia paradigmas, é uma forma de tornar os usuários mais conscientes em relação aos objetos que nos cercam e que nos são úteis. Além de proporcionar um conforto surpreendente, os móveis expõem aquilo que normalmente estaria escondido em seu interior.

bouncy_layers41_hiroshi_iwasaki bouncy_layers37_hiroshi_iwasaki bouncy_layers35_hiroshi_iwasaki bouncy_layers30_hiroshi_iwasaki bouncy_layers20_hiroshi_iwasaki bouncy_layers15_hiroshi_iwasaki bouncy_layers07_hiroshi_iwasaki

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=IwWojb2J1wI#action=share[/youtube]

, , ,

jul/14

15

Mesas que parecem rios

[fb-like-button]

É justamente assim que parecem as mesas feitas pela Greg Klassen. Utilizando madeiras descartadas ou de árvores que já começaram a se deteriorar, eles compõem móveis que imitam o relevo de rios e lagos.

Os pedaços de vidro (cortados à mão) unem-se ao centro com as peças de madeira para formarem belas composições.

Em meio à arquitetura dos ambientes, estes móveis dão um ar natural  e rústico! Nós adoramos!

table-1 table-2 table-3 table-6 table-7 table-5 table-8 table-9

 

, , ,

ago/12

31

Em colaboração com o Grupo de Luxo Formitalia, um dos principais fabricantes italianos de móveis de design, a Mercedes-Benz criou uma coleção de móveis sob o rótulo de estilo Mercedes-Benz.

Formitalia e Mercedes-Benz são sinônimos de qualidade superior e acabamento requintado que encarnam luxo e paixão. “As várias peças de mobiliário refletem a progressiva linguagem de design, dinâmica de nossos carros atuais e também de nossos veículos de conceito. Elas oferecem uma experiência exclusiva e emocional fora de nossos veículos”, conta Gorden Wagener, o chefe de design da Mercedes-Benz.

A interação entre proporções dinâmicas, formas naturalmente esticadas e linhas curvas transmitem uma extraordinária harmonia e facilidade moderna. O mobiliário dá a impressão de flutuar no espaço. Não se pode deixar de falar que todas estas formas lembram (e muito!) o design dos belíissimos e conceituados carros da marca.

Linhas elegantes e graciosas, estofados confortáveis bem como detalhes de costura amorosamente criados. O sofá é apresentado em duas variantes de cor: em couro anilina preta com pernas de metal fosco em preto grafite e o segundo, em couro cinza pérola na frente, couro azul noite na parte traseira inferior e pernas de alumínio brilhante.

Um bem-proporcionado aparador num estilo futurista em uma moldura de alumínio. A frente tem uma porta de vidro com um chanfro envolvente que lembra a entrada de ar em um carro esportivo.

 

A chaise-longue combina opulência e leveza. Sua moldura com forma dimensionada contribui para uma silhueta elegante, enquanto ao mesmo tempo, garante o nível máximo de relaxamento lounge. O pedestal e a cobertura de alumínio, disponíveis em qualquer material ou couro, fornecem uma óptica de contraste para a madeira.

 

As quatro pernas dessa mesa em alumínio estendem-se com raios elegantes e esculpidos. A estrutura está disponível em dois padrões de acabamentos, um em preto grafite e outro em acetinado fosco. O vidro é transparente.




 

As cadeiras de aspecto futurista estabelecem novos padrões em termos de forma e materiais. Uma concha de assento feito de madeira laminada garante um perfeito conforto de longa duração.


Um verdadeiro espetáculo de design e de formas elegantes dignas de uma empresa cheia de sofisticação! Parabéns Mercedes-Benz!

Para saber mais, acesse este link: http://www.daimler.com/

Por Valmor Vancini | P&D Cinex

, , , , , ,

mar/12

28

Por Clarissa Schneider | Editora chefe da revista Bamboo

Os primeiros ecos da semana já ganharam o mundo por meio da internet e dão conta de um design que se ocupa de questões como a adaptação aos espaços menores sem deixar de lado a arte do belo por conta da nossa urgente necessidade de funcionalidade, um desejo de transformar o visual rotineiro e por vezes industrial na mais pura arte e de unir tradição, grafismo e leveza para trazer vivacidade, diversão e conforto total para a casa, tudo isso nos braços de uma inteligente engenhosidade e do visual clean.

Brasileiros marcam presença cada vez mais forte na Design Week de Milão. Este ano estamos representados no Salão Satellite – cuja temática principal será a relação entre design e tecnologia – pela PUC-Rio e também pelo designer Pedro Franco, que além de lançar uma nova linha de móveis, deve fazer parte de uma mesa redonda, mediada por Fabio Novembre, onde serão discutidos os caminhos da criação no design e sua profissionalização.

Rodrigo Almeida também destaca o país, apresentando a exposição “Endêmico”, em Brera. Nela, apresenta cores e formas da sua infância mescladas à discussão de sua própria relação com a paisagem da floresta atlântica e os processos de miscigenação e desenvolvimento cultural por que passou o país.

A Bamboo, claro, também participa desta festa – e traz o que há de melhor para os estetas brasileiros. Nesta prévia, uma seleção do que há por vir para entusiasmar ainda mais os apaixonados por design. Participe você também!

, , ,


Fatal error: Call to undefined function wp_pagenavi() in /home/storage/1/ad/cd/cinext1/public_html/blog/wp-content/themes/cinex/wp-loop.php on line 48